O que rolou na 39ª reunião da Sociedade Astronômica Brasileira

100_0489

O eclipse lunar total no dia 27 de setembro, que coincidiu com o dia da abertura da reunião da Sociedade Astronômica Brasileira de 2015

Uma vez por ano, centenas de astrônom@s brasileir@s costumam se reunir em uma cidade, geralmente turística, para apresentar suas pesquisas aos seus companheir@s de carreira e também para discutir e tomar decisões científicas e políticas sobre o rumo da astronomia no Brasil. A Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), neste ano, se reunião na pitoresca cidade de Ouro Preto, entre os dias 27 de setembro e 1º de outubro, e eu vou resumir aqui os principais pontos discutidos e trabalhos apresentados na reunião. Só lembrando, apesar de eu ser membro da SAB, as eventuais opiniões que escrevo aqui são minhas e não refletem a visão da organização SAB.

A conferência de abertura foi uma inspiradora palestra de Thaisa Bergmann (UFRGS), ganhadora do prêmio L’Oréal-Unesco para Mulheres na Ciência em 2015. Ela mostrou vários momentos de sua caminhada na vida astronômica, desde observações realizadas no OPD até a luta para conseguir observar em um grande telescópio enquanto ainda cuidava de seu bebê recém-nascido. Posteriormente, falou sobre as suas recentes descobertas sobre galáxias de núcleo ativo e discos de acreção. Para muitos astrônom@s, é confortante ver também o lado mais humano de um profissional bem-sucedido, ao invés do velho clichê dos gênios anti-sociais e extremamente analíticos que permeia na nossa cultura. Infelizmente, a astrônoma ainda foi indiretamente criticada pela sua palestra por ter mostrado fotos dela mesma.

Na noite do dia 27, pudemos observar o eclipse total da Lua, pois o tempo estava bastante limpo em Ouro Preto (ao contrário da cidade de São Paulo, que ficou completamente encoberta praticamente a noite toda). Foi aí então que eu tirei a foto que aparece em destaque neste post.

No primeiro dia oficial da reunião, 28 de setembro, nós tivemos as conferências de Klaus Keil (Hawai’i Institute of Geophysics and Planetology) e Palle Møeller (ESO), que falaram sobre, respectivamente, a evolução química do Sistema Solar inferida através do estudo de asteróides e sobre a evolução química cósmica através do estudo da relação massa-metalicidade de galáxias e estrelas. Eu já tinha assistido uma palestra do Klaus Keil anteriormente, e posso dizer que é uma visão bastante interessante sobre o Sistema Solar, e sua palestra transpira paixão pelo assunto.

Ainda no primeiro dia, também tivemos duas palestras sobre instrumentação dadas pela Cláudia Oliveira (IAG/USP). Ela nos falou sobre o telescópio o atual estado da construção e da ciência do telescópio GMT (Giant Magellan Telescope). Ela aponta que o telescópio já está 50% custeado, e que levantar dinheiro suficiente para o restante ainda é um grande desafio. O design do telescópio é bastante diferente do rumo que tem-se tomado atualmente, e alinhar os sete espelhos de 4 metros de diâmetro cada um vai ser também um outro desafio. No entanto, a ciência realizada pelo telesćopio será bem eclética, indo desde planetas extrasolares até galáxias e cosmologia. Posteriormente, a astrônoma nos apresentou o telescópio T80-Sul, gêmeo de um telescópio localizado na Espanha, e que servirá para suprir os brasileiros com tempos de observação suficientes para trabalhos de longo prazo.

No fim do dia, tivemos mais um outra conferência inspiradora, desta vez do Sylvio Ferraz de Mello (IAG/USP), que nos apresentou uma visão geral de sua carreira, sua conexão com uma importante “linhagem” de astrônomos e seus resultados mais interessantes; estes foram contados de uma maneira bastante sintética e fácil de entender, algo que muitas vezes faz falta em algumas palestras e talks de outros cientistas.

No segundo dia, tivemos palestras sobre vários instrumentos acessíveis a astrônomos brasileiros, apresentadas por Lars-Ake Nyman (ALMA Observatory), Elisabete Gouveia Dal Pino (IAG/USP, sobre o Cherenkov Telescope Array – CTA), Jacques Lépine (IAG/USP, sobre o radiotelescópio LLAMA) e Andreas Kaufer (ESO). Enquanto que as palestras sobre o ALMA e ESO se focaram na ciência e no potencial ainda a ser explorado, as outras duas palestras serviram para nos apresentar os telescópios CTA e LLAMA, que ainda estão em fase de projeto. Segundo Gouveia Dal Pino, com o advento do CTA, os brasileiros “não precisarão mais depender da astronomia óptica”. Adicionalmente, Andreas Kaufer afirmou que o ESO pode não apenas abrigar o CTA, mas até mesmo ajudar a financiá-lo! É interessante o que nós podemos fazer quanto juntamos forças para um objetivo comum.

No terceiro e último dia, a sessão foi aberta com uma interessante recapitulação da pesquisa sobre o centauro Chariklo, por Felipe Braga Ribas (UTFPR). Caso você não saiba, ele foi o primeiro asteróide no qual nós descobrimos aneis, como os de Saturno. A descoberta teve participação de vários brasileiros, inclusive de meu ex-orientador, com publicação na revista Nature. Um dos pontos mais interessantes sobre a palestra foi que já tínhamos evidências para a presença de aneis no centauro, mesmo antes da descoberta que rendeu o artigo; isso porque o espectro observado anteriormente no objeto possuía sinais de água intermitentes que indicavam a presença dos aneis. Isso, no fim das contas, veio a corroborar a descoberta feita através da ocultação de uma estrela no ano de 2013. Atualmente, várias observações tem sido feitas por telescópios avançadíssimos, como o Hubble Space Telescope, para tentar obter imagens diretas dos aneis. Os dados ainda estão sendo processados.

Posteriormente, três grupos se reuniram para fazer discussões sobre diferentes assuntos da atualidade. Eu participei do grupo de discussão sobre os telescópios do LNA (Laboratório Nacional de Astrofísica). Os pontos abordados foram bem técnicos, então não vale a pena destrinchar tudo aqui. Vale dizer que um dos pontos levantados foi sobre os cortes e congelamentos de verbas para o LNA, o que resultou na impossibilidade de continuar o contrato com o telescópio CFHT, e que a alta do dólar tem diminuído o poder de pagamento da instituição para o uso de outros instrumentos. As negociações para aumento da verba foram mal-sucedidas, segundo o diretor do LNA.

Por fim, no último dia também foi realizada a Assembleia Geral da SAB, onde se discutiu vários aspectos políticos e administrativos da astronomia no Brasil. Um dos pontos mais importantes foi que a SAB está fazendo pressão para que a presidente Dilma Rousseff decrete a lei que tornará o Brasil um país membro do ESO. No entanto, com a troca de ministro da ciência que ocorreu na última quinta-feira (1º de outubro), as negociações que já haviam sido feitas com o ministro se foram por água abaixo, e elas terão que ser retomadas. Só lembrando que o Brasil não pode voltar atrás: a adesão definitiva ao ESO vai ocorrer mais cedo ou mais tarde, dependendo apenas da promulgação pela presidente.

A assembleia também serviu para apresentar o vencedor do Prêmio SAB Miriam Pastoriza, que agraciou o jovem astrônomo Rodrigo Nemmen (IAG/USP) pelas suas importantes contribuições para a pesquisa sobre buracos negros, tanto no lado teórico quanto observacional.

A reunião da SAB de 2015 foi a primeira que eu tive a oportunidade de ir, e lá fui aceito como membro aspirante da sociedade. Foi uma experiência bastante interessante e divertida. Se você é um jovem estudante de astronomia, mesmo que ainda esteja na graduação, eu recomendo fortemente de participar da reunião e nos apresentar o que tem feito na sua pesquisa. Quem sabe uma colaboração frutífera possa surgir?

Anúncios

Uma resposta para “O que rolou na 39ª reunião da Sociedade Astronômica Brasileira

Fique à vontade para comentar, aqui não há certo ou errado, nem censura de ideias. Mas, por favor, seja claro e, acima de tudo, use pontuação. Comentários ininteligíveis ou ofensivos não serão publicados.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s